não identificada
não identificada
não identificada
Cipó Rosa
não identificada
Catolé
Maxixe Come-se cozido.
não identificada
Catingueira Madeira de média qualidade utilizada em cercas como estacas, lenha para diversos usos pela população local, e utilizada na medicina popular. Flores amarelas dispostas em cachos nos ramos e galhos mais finos; perfumadas atraem grande número de insetos, os frutos são pequenas vargens marrons que amadurecem no período da estiagem. Árvore de grande beleza que pode se utilizada na arborização urbana como praças e bosques. Como planta pioneira de rápido crescimento, seria aproveitável seu uso na recuperação de áreas degradadas pelo desmatamento. https://pt.wikipedia.org/wiki/Caesalpinia_pyramidalis
Tamburi O chá da casca é muito bom para apendicite. Dá umas tábuas boas.
Jandainha + urtiga
Anjico Majola O Anjico Manso. Nós chama Anjico Manjola ele. Tem o Anjico de Caroço, e esse ai que chamamos de Manjola, esse daqui. É bom de madeira, também. A madeira dele é boa toda. (Severino)
Cansanção Faz-se chá da raiz para criança com diarréia.
Não especificado
Jiricó
Vremein / Vermelhinho
Maniçoba
Jurema de Espinho
Pau do Besouro
Formiga não especificada
Imburana de Cambão
não especificado
Pião Branco Se levar um corte, corta-se um galho dele e pinga o leite em cima. Num instante sara!
Umbuzeiro Chamada "árvore sagrada do Sertão" por Euclides da Cunha. O umbuzeiro conserva água em sua raiz, podendo chegar a armazenar até mil litros, e, além disso, produz uma batata, que, em época de grande estiagem, é utilizada como alimento. O umbuzeiro vive em média 100 anos, e é considerado um símbolo de resistência.   https://pt.wikipedia.org/wiki/Umbuzeiro
não identificada
não identificada
Formigão
Juazeiro Chá da casca para estômago   /   Seus frutos, do tamanho de uma cereja, são comestíveis e utilizados para fazer geleias, além de possuírem uma casca rica em saponina (usada para fazer sabão e produtos de limpeza para os dentes). São também utilizados na alimentação do gado na época seca. https://pt.wikipedia.org/wiki/Juazeiro  
Aroeira
Lagarta não identificada
Malva Melosa usa-se para varrer o chão
Faveleira
Velame
Incó
Lagarta não especificada
nao especififcada
Pau Ferro O chá dele é bom qualquer dor que a pessoa sentir. É dura a madeira, usa-se para fazer o arco de flecha. O anjucá dele é mais forte que o da Jurema.
Malva Branca
Canafista / Canafístula Para madeira e indicado para dor de barriga.
Feijão Brabo
Mameleiro / Marmeleiro Usa-se para madeira.
Não identificado
não identificado
Calango
Pião Rasteirin / pinhão rasteirinho
Quipebe Para os rins. Pisa a casca e bota de molho e toma.
Cavalo do cão
Fava de Cobra
Gravatá
não identificada
Quixabeira Pra quem leva pancada, é só botar a casca de molho e tomar.  (Seu Severino) / A madeira é dura; a casca tem propriedades adstringentes e tonificantes; as folhas e os frutos são forrageiros, servindo de alimento para o gado na época das secas. Sua casca tem propriedades tônicas, adstringentes e antidiabéticas. Possui espinhos fortes, folhas oblongas e cartáceas, flores aromáticas e bagas roxo-escuras, doces e comestíveis. A casca tem propriedades antiinflamatórias, sendo utilizada como cicatrizante através de chás ou infusões hidroalcoólicas. Devido à sua grande utilização na medicina alternativa e ao corte indiscriminado na vegetação das caatingas nordestinas, a espécie está na condição de rara e necessita de incentivos para a sua reprodução e manutenção na flora brasileira. https://pt.wikipedia.org/wiki/Quixabeira
Quipá
Lagarta de fogo
Jurema sem espinho Usa-se o anjucá no Toré - tira-se a casca, pila ela no pilão e faz a raizada. Tem que tomar pouco se não, fica doido.
Folha de Carne Forra-se o chão com ela para desfolar a rês.
Facheiro
Papaconha
Mandacaru Ração para gado.
Anil
Pau Darco
Cobra Preta
Lambeice Esse não autoriza para nada.  (Seu Severino)
não identificada
Ingongo
Xique-Xique
Pau de Serrote
Palma
Cabo de Raposa
Braúna / Baraúna Usa a madeira. O madeirame que tem nas casas mais velhas de Carnaubeira, tudo é ela.
Bananinha Bota cachos bonitos de bananinhas.

Compartilhar